Como Harry Potter mudou a minha vida

Há alguns meses tenho pensado em discursar sobre esse assunto, mas a falta de tempo me impediu. Entretanto, com o final evidente da série, eu preciso falar um pouco sobre Harry Potter. Escrevi esse texto para o Fórum 6v e quero reproduzi-lo por aqui também.

É um pouco difícil dizer como essa série mudou a minha vida, porque ela simplesmente é parte da minha vida. Eu li A Pedra Filosofal pela primeira vez com dez anos de idade e, desde então, venho crescendo e o Harry também. As experiências pelas quais ele passou me ensinaram valores, transformaram-me na pessoa que sou hoje. Como eu seria se nunca tivesse lido Harry Potter? Eu não consigo nem imaginar, de forma que nunca poderia responder como mudou a minha vida.

Eu era muito nova e não me lembro exatamente da primeira vez que li Harry Potter e a Pedra Filosofal; só sei que adorei cada um dos livros (menos do segundo e do quarto, mais do primeiro e do terceiro).

A única coisa que lembro é que deparei logo no primeiro capítulo com palavra “defronte” e perguntei a minha mãe o que significava aquilo; e também não sabia o que significava “broca”, mas não perguntei o que era a ninguém. E fico pensando no quanto as coisas mudaram, porque depois eu aprendi a olhar no dicionário e parei de perguntar ou deixar palavras passarem em branco. Hoje, o significado da palavra “defronte” não é nenhum mistério para mim, assim como muitas outras coisas e muitas outras palavras.

No meio tempo entre o lançamento do quarto e do quinto livros, eu reli Pedra Filosofal onze vezes e Prisioneiro de Azkaban treze vezes. Eu terminava de ler um livro e partia para o outro; lia dois ou três livros ao mesmo tempo, dentre os quais sempre estava Harry Potter. A Câmara Secreta foi o primeiro livro que li em um único dia, lembro-me que demorei apenas sete horas para ler, durante uma tarde, após a escola.

Na escola, os meus colegas me achavam esquisita: uma menina baixinha de roupas largas que sempre estava carregando um ou dois livros extras na mochila. Por causa disso, eu fui taxada de nerd e sofri bullying, mas eu não desisti dos livros ou do meu jeito de ser, porque eu aprendi com o Harry que não devia desistir dos meus valores por causa dos outros.

E é nessas pequenas coisas que digo que o Harry mudou minha vida. Ensinando-me o valor do amor e da amizade, da confiança nos meus valores e, em especial, tentar sempre fazer o bem aos outros, independentemente do quanto elas te façam mal. E o mais engraçado é que a lição final dos livros (para mim) consiste em: todo mundo erra, ninguém é perfeito. O que importa é seguir a sua vida, consertando o que fizer errado da melhor forma possível. Engraçado como os valores vão se tornando mais profundos e complexos, na medida em que o Harry vai crescendo (e eu também).

O que teria acontecido se, quando eu tinha dez anos, minha avó não tivesse comprado Harry Potter e a Pedra Filosofal para mim? Não tenho como imaginar, porque minha vida sem Harry Potter não é a minha vida, mas a de outra pessoa muito próxima e muito distante.

Por fim, coloco um vídeo muito divulgado na internet, feito pelo(a) :

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: